WING CHUN-SABIA QUE?




   Sabia que o Wing Chun?

  * Foi a arte marcial que Bruce Lee aprendeu

  * Baseia-se na Biomecânica e Geometria sendo considerada uma arte marcial 
    científica

  * É uma arte simples, directa e vocacionada para a luta de rua e de curto alcance

  * Não exige grande aptidão física e pode ser praticada por pessoas com idade 
    avançada

  * Baseia-se mais na sensibilidade e no tacto e é ideal para cegos

  * Segue os mesmos princípios Yin-Yang da Medicina Tradicional Chinesa

  * Funciona como uma terapia, melhorando a força, agilidade e capacidade cognitiva

  * Aumenta a auto-estima e potencia as suas aptidões profissionais

  * É ensinada hoje em dia a várias forças policiais em todo o mundo.

  * É uma “Arte de Vida” que lhe permite chegar a velho em plena forma Física e Mental




O sistema contém uma variedade enorme de técnicas, incluindo:
  • Bloqueios e ataques com o membro superior (punho, palma, cotovelo, dedos e ataques com o antebraço)
  • Pontapés, joelhadas, "rasteiras"
  • Chaves
  • Desenvolvimento da Energia Interna (Chi Kung)
  • Desenvolvimento da Sensibilidade, Reflexos e Velocidade
  • Palma de ferro
  • Aplicação de técnicas no Boneco de Madeira
  • Armas (bastão e facas borboleta)

O texto que se segue foi elaborado com excertos do livro "Wing Chun - Uma Arte de Vida" de Lio Monk.

A cópia deste texto, ou de partes dele, está autorizada desde que seja citada a autoria do mesmo (Lio Monk) e o endereço deste blogue.


1. SIU LIM TAU – A Pequena Ideia




Esta é a primeira forma do Wing Chun. Tal como o nome sugere, ela ensina ao aluno muitos dos conceitos e ideias do sistema e os movimentos básicos das mãos. É a semente que dá origem a todo o sistema. Tal como uma árvore precisa de raízes fortes para poder crescer, todos os conceitos da primeira forma têm que ser interiorizados para que o aluno possa progredir no sistema.

O termo Siu Lim Tau tem várias interpretações. Uma delas refere-se ao estado de privilegiar o "Sentir" sobre o "Pensar". Siu (小) é traduzido por "pequena", mas significa também "decrescer" ou "desvanecer". Lim (念) significa "pensamento" e Tau (頭) significa "cabeça". Isto pode ser interpretado no sentido de que o Pensamento deve desvanecer na nossa mente e dar lugar, por isso, ao Sentir. Só assim podemos ser rápidos e agir no instante. Daí uma frase célebre de Bruce Lee: "Não penses, sente!"


2. CHUM KIU – Procurar a Ponte                    



                                          
Esta é a segunda forma do sistema. Chum Kiu é também o nome de um dos movimentos da segunda parte da forma que significa "Afundar a Ponte". Assim, o termo "Chum" é homófono já que o caracter, embora se leia da mesma forma, tem uma escrita diferente. O termo "Ponte" refere-se ao "antebraço". Costuma-se dizer que tem esse nome, porque eu tenho que atravessar a "Ponte" do meu oponente para chegar até ele.

Esta forma está dividida igualmente em três partes e nela o aluno aprende agora a rotação da sua posição (Cho Ma) e a deslocar-se de um lado para o outro. Aprende também aqui, e na sequência destes movimentos, o conceito de Linha Central (中線) em maior detalhe.

Neste nível, aprendemos a focar os olhos em algo que se move rapidamente no espaço. Estudamos os conceitos das Pirâmides, os princípios Yin-Yang, bem como o Chi Sau (Mãos Coladas) e Lop Sau (Mãos que Agarram) com maior detalhe.


3. BIU JEE – Dedos que Disparam



                                                                         
A terceira forma de punhos esteve sempre envolvida em mistério e segredo, pois não era para ser mostrada a estranhos. Se forem à Internet, encontrarão no Youtube o Yip Man a fazer as primeiras duas formas num vídeo realizado em 1972 poucas semanas antes de falecer. No entanto, não o encontram a fazer a Biu Jee.

Esta forma é ensinada após o aluno dominar as anteriores. Isto significa que é uma espécie de recompensa por todo o esforço, dedicação e lealdade do aluno.

Daí o provérbio:
“A Biu Jee não sai da porta para fora” (Biu Jee Mm Chat Mun).

No entanto, hoje em dia, este secretismo diluiu-se imenso e, por um lado, ainda bem. Como disse no início deste livro, se o conhecimento não for partilhado é toda a humanidade que perde. E a partilha traz felicidade a todos os amantes desta arte.

Se as formas anteriores são sobre as regras do Wing Chun, esta é sobre as exceções. Por isso, ela apresenta alguns movimentos e conceitos que até parecem contrariar as regras anteriormente estabelecidas. E isto acontece, porque se trata de uma forma que prepara o aluno para situações de emergência. É o caso de sermos surpreendidos por alguém que surge pela retaguarda, alguém que nos ataca prendendo os nossos braços ou até alguém que nos ataca com uma arma.


4. MUK YAN JONG – Boneco de Madeira




                                   




O Boneco de Madeira - "Muk Yan Jong" - muito embora seja usado noutros estilos de Kung Fu, está, sem dúvida, muito associado ao Wing Chun e é a imagem de marca desta arte.
A forma do Boneco de Madeira também é constituída por uma sequência de 108 técnicas, embora varie consoante as linhagens. 

Isto deve-se ao fato de o Yip Man ter alterado esta forma ao longo dos anos em que foi lecionando. E tal como um ritual ou uma meditação, o praticante vai andando à volta do boneco, seguindo um semi-círculo e praticando uma série de ataques e defesas, tanto com as mãos como com os pés.

O Boneco de Madeira é constituído por dois braços em cima, um ao centro, representando um soco ou pontapé ao nível do estômago e uma perna em baixo, representando o membro inferior numa posição de combate. O seu corpo deve mover-se ligeiramente à medida que vamos fazendo os movimentos e, por isso, ele não deve estar preso à parede. O mesmo acontece com os braços que devem estar soltos, movendo-se em várias direções à medida que vamos fazendo os movimentos. Desta forma, temos uma sensação mais aproximada à realidade de uma luta.


5. ARMAS

5.1 - LUK DIM BOON GWUN - O Bastão de Seis Pontos e Meio







Luk Dim Boon Gwun é também conhecido como o Bastão Longo devido ao seu comprimento. Acredita-se que foi introduzido no sistema mais tarde durante a altura da Ópera do Junco Vermelho. Assim, Chi Sin andaria refugiado a bordo do Junco Vermelho de Cantão 
e trabalhando lá como cozinheiro. 

E terá sido nessa época que ensinou as técnicas do Bastão a Leung Yee Tai que, por sua vez, as passou a Leung Jan. Apesar das várias linhagens terem formas muito diversas, é tradicionalmente uma forma curta que apresenta os ataques e defesas básicos com o bastão.
       
O trabalho de pés e as posições na forma do Bastão são geralmente mais baixos para compensar o peso extra da arma e para fortalecer as pernas. Surgem, por isso, movimentos que vemos em formas de Shaolin Kung Fu, mas que não estão nas formas anteriores do Wing Chun. Na parte de cima, os braços são fortalecidos pelos movimentos do Bastão.

O treino do Bastão divide-se em 4 partes:
1.         Gwun Kuen (Punho do Bastão)
2.         Biu Gwun (Bastão que Dispara)
3.         Luk Dim Boon Gwun (Forma do Bastão)
4.         Chi Gwun (Bastão Que Cola)

É também frequente ver-se técnicas de luta do Bastão com as Facas do Wing Chun.

5.2 - BAT JAM DO - As Facas que cortam em Oito






Diz uma lenda que as Facas do Wing Chun foram transmitidas por Miu Tsui Fa que era filha do mestre Miu Hin a Yim Wing Chun.  
Acredito, no entanto, que elas tenham sido introduzidas no sistema, um pouco mais tarde, provavelmente na mesma altura em que o bastão. E tal como este, também elas servem para condicionar o corpo, especialmente os antebraços, pulsos e dedos. 

Elas representam o último nível no sistema do Wing Chun e remetem-nos para uma altura em que o conhecimento de Kung Fu era uma questão de vida ou morte. Por isso, antigamente eram conhecidas como “As facas que retiram vidas”.

São também conhecidas por "Facas Borboleta" devido ao seu formato se assemelhar à forma de uma borboleta, quando estão juntas e as suas lâminas se cruzam.


6. JOOK WAN HUEN 竹環圓 – Anel de Vime



É também nesta altura que o aluno é introduzido ao Anel de Vime - "Jook Wan". Não se trata propriamente de uma arma; é antes um utensílio com origem em Shaolin e que pode ser muito útil.

Nem todas as escolas o adoptam, mas este pode ser usado para desenvolver o uso da força suave e circular nas técnicas e é excelente para treinar os pulsos e antebraços.
O anel pode ser trabalhado de forma despolarizada, quando colocamos as mãos pelo mesmo lado do anel ou polarizada, quando elas entram por ambos os lados. O Wing Chun não tem uma forma específica do Jook Wan. 

Assim, tal como outros mestres, também eu desenvolvi uma forma com o Jook Wan que ensino aos meus alunos. No início, noto que há uma dificuldade em manter o anel no seu suposto lugar, deixando-o cair muitas das vezes. Mas, com a prática, o aluno aprende a usá-lo e adquire uma maior noção de como as mãos se movem no espaço.

Para uma informação mais detalhada sobre a História e o Sistema do Wing Chun consultar o livro: "Wing Chun - Uma Arte de Vida" de Lio Monk 
Para adquirir este livro contactar: lio.monk@gmail.com 
                        

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Afinal quem foi o Mestre de Bruce Lee?

NOVO BLOGUE - Academia Lio Monk

Wing Chun - Aulas regulares em Lisboa